delirio-foto-roger_261 Em parceria e colaboração com Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira Produções, A Tauá realiza a produção local da peça “Delírio” nos dias 14,15 e 16 de fevereiro na Caixa Cultural Brasília, o espetáculo Delírio, é de Ângelo Madureira e direção de Ana Catarina. No palco, o dançarino conta a história de Sonhador, personagem que dialoga com mitos da cultura popular brasileira. Delírio é resultado de uma pesquisa do dançarino popular Ângelo Madureira sobre Frevo. Ele usou como ponto de partida para a pesquisa o livro de Waldemar Oliveira, Frevo, Capoeira e Passo. Na obra, o autor define Frevo

como um ritmo; a dança que acompanha este ritmo é o passo. Intrigado com a definição sobre frevo, Ângelo Madureira resolveu pesquisar a dança pernambucana e suas diversas origens formadoras. Como resultado, surge a história de Sonhador, personagem que o dramaturgo buscou numa carta de recomendação feita por seu pai, quando Ângelo se mudou para São Paulo. “É tradição no Nordeste, quando um filho sai de casa o pai escrever uma carta de recomendação, dizendo que o filho é honesto, trabalhador. E meu pai fez uma para mim. No verso desta carta

havia um conto e foi de lá que busquei o personagem para construir e espetáculo”, explica. O Sonhador é um menino que acorda dentro do seu sonho e vive fantasias com personagens míticos da cultura brasileira, como o guerreiro, a bailarina, o bêbado e o equilibrista, e percorre, neste delírio, diversas fases da vida. Para compor este complexo personagem, Ângelo Madureira dança, toca e interpreta, num diálogo entre as danças populares, clássicas e contemporâneas.